EmpreendedorismoEmpresasEquipamentosSegurançaServiços

Automação e outsourcing: entendendo essas estratégias

Não é segredo para ninguém o modo como a tecnologia pode contribuir para os negócios hoje em dia, sejam eles indústrias, de escritório ou do comércio e varejo em geral.

Algumas tendências dependem eminentemente da tecnologia digital e seriam impensáveis sem ela, como no caso da automação comercial, que lida com internet e softwares de programação.

Já outras lidam apenas com inovações estratégicas e conceituais, como no caso do outsourcing ou da terceirização.

A tecnologia tem se voltado bastante para a área de segurança e de controle de acesso de transeuntes e automóveis.

Atualmente, uma empresa de segurança lida com soluções prediais e de grandes conjuntos comerciais, mas também com condomínios residenciais e até com demandas menores próprias de escritórios e recepções.

A terceirização, por seu turno, diz respeito a práticas mais elaboradas de estratégia, mas também a algumas tendências que sempre existiram no mercado.

Hoje já se fala, inclusive, em quarteirização (quando uma empresa busca terceirizar um serviço através do intermédio de um escritório que faz a ponte entre as partes), começa a ficar claro que o outsourcing sempre existiu. Grosso modo, o aluguel de imoveis comerciais seria um modo de terceirizar a demanda por um espaço físico.

Esse conceito de delegar uma função, encargo ou demanda para um terceiro ou mesmo quarto membro (que então se torna a empresa prestadora do serviço e promotora da necessidade) é, precisamente, o que tem revolucionado a indústria/comércio em geral, mesmo quando não esteja diretamente ligado à tecnologia digital.

Antes de passar para o próximo tópico, seguem abaixo algumas vantagens e benefícios promovidos tanto pela tecnologia quanto pela terceirização:

  • A facilidade de iniciar novos negócios;
  • O acesso a profissionais fundamentais;
  • O acesso a colaboradores de base;
  • A criatividade fundamental da inovação;
  • A otimização do tempo implicado nos processos;
  • A minimização de encargos e obrigações;
  • A maximização dos resultados gerais, etc.

Seguem adiante exemplos mais detalhados que dizem respeito às tendências referidas.

Até que ponto pode ir a terceirização?

Comecemos por um exemplo bastante prático, que se encontra no setor de festas e eventos. É de se deduzir que uma empresa que atue nessa área não tenha condições de fechar um time fixo e imutável de colaboradores, mas que, justamente, precisará contratar frequentemente mão de obra freelancer e temporária.

Também assim, é natural que nem todos os artigos de que uma promotora de eventos disponha tenham sido comprados.

É o caso, por exemplo, do aluguel de barracão, o que também ilustra uma espécie de quarteirização (uma vez que há intermédio entre três partes e não apenas duas: uma empresa é dona do barracão, outra o aluga e uma terceira contrai o serviço final).

O exemplo dos barracões remete a um tipo de tenda desmontável. Mas também pode dizer respeito a uma outra tendência bastante disseminada atualmente: a dos galpões e depósitos de armazenagem.

O mercado de armazenamento, também conhecido como self storage, gira em torno da dificuldade que muitas empresas encontram para dispor de espaço físico.

Muitas vezes, a questão não é a da falta de espaço em si, mas a de que os escritórios e pontos inteligentes de uma empresa costumam situar-se em localidades de alto valor de aluguel, ao passo que grande parte do processo e dos pertences do negócio podem ser armazenados em qualquer outro endereço menos custoso.

O papel da tecnologia digital

Um exemplo propriamente tecnológico e especialmente ligado à automação é o da empresa de portaria virtualtambém conhecida como portaria remota.

Embora o conceito ainda não tenha sido totalmente disseminado no Brasil, já existe uma quantidade considerável de empresas e condomínios que contam com essa solução bastante inovadora e prática.

Trata-se de uma empresa que monta equipes e unidades de trabalho para operarem a distância a funcionalidade das portarias físicas presentes em cada edifício ou condomínio da cidade.

De fato, o contato que os frequentadores têm com os porteiros de uma guarita física é minúsculo ou zero, de modo que ao automatizar o interfone e as câmeras do local é possível atender a mesma demanda com operadores que estejam em qualquer outro endereço.

As vantagens são evidentes e vão desde diminuição nos custos até o próprio aumento na segurança, uma vez que uma equipe maior e terceirizada pode fazer um trabalho mais diretamente ligado às novidades e informações do setor de segurança civil. Não à toa, uma das pesquisas mais comuns que se faz hoje é por portaria virtual sp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *