EmpreendedorismoIndústriaOrganização

Como iniciar uma pequena indústria

Abrir uma empresa é por si só uma atividade que demanda tempo e disposição de quem o deseja fazer, sem contar que mesmo fazendo tudo correto de A à Z, ainda assim existem chances de o negócio não sobreviver.

Entre tantas opções de empreender, hoje iremos ver como é possível iniciar uma pequena indústria, tipo de negócio que não é dos mais visados por quem pretende empreender, mas que pode ser uma excelente opção para faturar, se a mesma for bem estruturada.

Indústria é a empresa responsável pela produção ou fabricação de produtos em massa, onde é necessário processar matéria-prima para que assim obtenha um produto acabado, que posteriormente será repassado às lojas para venda.

Definindo o ramo de atividade

Antes de iniciar o planejamento da indústria, o empreendedor deve primeiramente determinar o ramo de atividade em que irá investir. As opções de fábricas e indústrias disponíveis para empreender são bem vastas, e cabe ao empreendedor estudar cada uma delas para escolher a que melhor se enquadra em seu perfil, lembrando que essa escolha irá nortear os próximos passos.

Máquinas e Equipamentos

O espaço físico a ser escolhido pelo futuro empreendedor deverá ser adequado para comportar as máquinas e equipamentos da indústria. O local também deve ter tamanho suficiente para contemplar áreas para setor de produção, áreas administrativas e sanitárias.

As máquinas e equipamentos podem ser adquiridos novos, ou ainda, usados se estiverem em bom estado, tudo irá depender da disponibilidade financeira do empreendedor. Além do mais, é necessário adquirir móveis e equipamentos para a área administrativa, como mesas, cadeiras, computadores, impressoras, telefones, e afins.

Investimento e Capital de Giro

Com o ramo de atividade já escolhido, assim como a definição de maquinário e respectivas quantidades a ser utilizada na fábrica e local de instalação estabelecido, é possível fazer as contas do investimento fixo, assim como o capital de giro.

Existe diferença entre investimento fixo e capital de giro, enquanto o investimento fixo é todo gasto com compra de bens para a indústria, móveis, equipamentos, prédios, utensílios e etc., o capital de giro é uma reserva de recursos que visa suprir as necessidades financeiras da empresa, a fim de que a mesma consiga efetivar seus negócios ao longo do tempo.

É importante o empreendedor acompanhar de perto todo o processo, para saber onde os recursos estão sendo utilizados e ter a informação do valor disponível para ser utilizado.

Fornecedores

Após preparar o planejamento financeiro através de planilha, e acompanhar de perto a execução das etapas e dos gastos financeiros, o empreendedor precisa escolher seus parceiros de fornecimento de matérias-primas.

É importante que o empreendedor tenha várias opções em seu rol de fornecedores, para que não seja deixado na mão, caso haja algum imprevisto por parte dos mesmos. Escolha os fornecedores que se adéquam às necessidades da empresa e que ofereçam:

Qualidade: É essencial que a empresa trabalhe somente com matérias-primas, ingredientes e insumos de qualidade para garantir excelência no seu produto final. Um produto não pode ter procedência duvidosa, pois isso prejudica as vendas e afeta diretamente o faturamento da empresa, o que não é interessante para uma empresa que está começando e almeja crescimento.

Preço justo: Quem não faz a conta, paga a conta. Nem sempre o mais barato é o melhor, e pode trazer dores de cabeça no futuro. O melhor preço é aquele onde é possível aliar um valor que caiba no orçamento com qualidade comprovada. Avaliar e estudar os fornecedores disponíveis é necessário.

Pontualidade: Questione os prazos praticados pelos fornecedores. O atraso por parte dos mesmos pode prejudicar a produção da indústria, e a mesma pode perder a credibilidade perante os seus clientes.

Prazo e formas de pagamento: Organizar as melhores datas para o pagamento dos fornecedores e ser fiel no pagamento, garante o recebimento dos produtos em dia e mantém o bom relacionamento fundamental entre as partes.

Controle de Estoque

Seja loja ou indústria, é imprescindível que as mesmas realizem um controle de estoque efetivo. Se a empresa não tem esse controle adequado da forma como deveria, bem provavelmente tem grandes chances de perder algumas vendas e trazer prejuízos.

É simples, se a empresa não tem produtos para oferecer, o cliente vai em busca de quem o tenha.

Com a ferramenta certa para controlar o estoque, o empreendedor poderá saber se há falta ou excesso de produção de produtos, além de visualizar quais são os produtos com maior e menor saída, podendo assim criar estratégias para melhor gerir a produção e também verificar se os mesmos estão próximos do vencimento.

Formalização da empresa

Como em toda empresa, que deseja trabalhar de forma transparente no mercado, é necessário que a indústria se formalize perante os órgãos necessários, atendendo também às legislações específicas de acordo com o produto fabricado. Basicamente é necessário:

  • Registro na junta comercial.
  • Inscrição na secretaria da Receita Federal para obter número do CNPJ.
  • Inscrição na prefeitura do município para obter alvará de funcionamento.
  • Enquadramento na entidade sindical.
  • Cadastro junto a Caixa Econômica Federal no sistema de conectividade social – para efeitos de INSS e FGTS.
  • Solicitação de licença do corpo de bombeiros para funcionamento.
  • Solicitação de autorização para impressão de nota fiscal junto a SEFAZ (Secretaria da fazenda).

Sendo também necessários os serviços de um contador para confeccionar os atos constitutivos da empresa com precisão.

Independente do tipo da empresa saiba que é possível obter sucesso, iniciando uma empresa com pouco dinheiro. O fator econômico é relevante, porém, o que pesa são as estratégias utilizadas no início, meio e fim que aumentam as chances de êxito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *