Sem categoria

Entenda mais sobre um projeto de combate a incêndio

Todos os tipos de prédios, sejam eles residenciais ou comerciais estão sujeitos a terem incidentes de incêndio pelo fato de existirem instalações elétricas.

Uso de materiais com potencial inflamável na sua construção, como madeira, dentre outras causas.

Dada essa condição, é essencial que todos os edifícios tenham um projeto de combate a incêndio com aparatos adequados e instruções para promover a desocupação efetiva do imóvel, caso aconteça algum acidente.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o Corpo de Bombeiros estabelecem as regras que que devem ser seguidas para que os imóveis estejam dentro da legislação pertinente.

Os prédios precisam de licenças e autorizações do Corpo de Bombeiros para funcionar e os que não estão adequados à legislação devem atender.

O mais rápido possível, às especificações.

Quais são as classificações de incêndio?

Para fazer o combate adequado às chamas é preciso saber a classe de incêndio a que o ocorrido pertence.

Essa classificação existe porque o controle das chamas deve ser feito com materiais específicos para cada tipo. As classe são:

  • Classe A: São os ocorridos com materiais sólidos como a madeira. Esses incêndios precisam ser extinguidos com espuma ou água;
  • Classe B: Os incêndios com gases, óleos e líquidos inflamáveis, como a gasolina, óleo diesel e tintas pertencem à classificação de categoria B. Seu combate não pode ser feito com água, mas com extintor de incêndio de gás carbônico e pó químico;
  • Classe C: Apetrechos eletrônicos ligados à energia, tais quais motores, quadros de força e geradores são encaixados na categoria de incêndio C. Para dar fim a este tipo de fogo é necessário o uso de equipamentos com gases e pó químico;
  • Classe D: Os metais como zinco, selênio e titânio também são inflamáveis e incêndios desse tipo devem ser apagados com pó químico específico para cada material;
  • Classe K: Aparelhos de cozinha, como fritadeiras com óleo e gorduras. A dominação desse tipo de incêndio é feita com a diluição de acetato de potássio em água.

Que equipamentos de segurança um prédio deve ter?

O material mais básico exigido pelas normas de segurança são os extintores. Cada tipo de incêndio requer um aparelho diferente para o seu combate, por conta do material incendiário.

Eles podem ser de água (H2O), indicados para o apagamento de incêndio de classe A; de gás carbônico, para as classes B e C; espuma mecânica, para as classes A e B; pó químico, usado no extintor BC e no extintor ABC.

Além dos extintores é necessário que os prédios tenham outros equipamentos de segurança para o combate adequado e o ambiente precisa ser projetado para atender às necessidades de remoção rápida e eficaz de pessoas do edifício em caso de incêndio.

Para que as pessoas saiam do local o mais rápido possível é necessário que o ambiente conte com sistema de saídas de emergência bem iluminadas e sinalização adequada.

Em prédios comerciais de grande porte é necessário a presença de uma brigada de incêndio.

Que, segundo a NR 23 (Norma Regulamentadora), é composta por um grupo de pessoas com treinamento técnico específico para prevenção e atuação emergencial em casos de incêndios.

Um dos itens essenciais para os prédios residenciais e comerciais é a porta corta fogo

Esse item ajuda na proteção ao incêndio e, geralmente, localiza-se nas escadas de emergência.

Elas são feitas de aço e são revestidas com isolante, que suporta temperaturas elevadas.

Uma rápida busca por “porta corta fogo preço” pode indicar a média de valor desse produto essencial para a segurança das pessoas que moram ou trabalham em um edifício.

O sprinkler também é um recurso utilizado no combate a incêndios e tem como vantagem o fato de ser um equipamento barato e que não precisa de acionamento.

Seu funcionamento é automático e ele dispara quando seus sensores identificam temperaturas elevadas.

Outro item muito importante é o sistema de alarme de incêndio que funciona em conjunto com o sistema de detecção de fumaça.

Os detectores têm como função identificar sinais de fumaça, o que facilita a identificação prévia de focos de incêndio.

O sistema de alarme tem a função de comunicar que há uma emergência e facilitar a evacuação imediata do prédio.

O projeto de combate a incêndio é essencial para o início do funcionamento de qualquer prédio residencial ou comercial.

Mesmo aqueles condomínios mais antigos que possuem um sistema implantado, devem fazer revisões periódicas em seu projeto para se assegurar que ele atende às normas mais modernas de prevenção e combate ao fogo.

A disposição de equipamentos adequados, uma boa sinalização e a presença de uma brigada de incêndio em prédios comerciais.

São alguns dos itens essenciais que devem estar previstos em um bom projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *