MarketingServiços

Modelos de relações comerciais entre países

A globalização é talvez o fator mais importante dos últimos anos, acentuando as relações comerciais.

Ela é o modo como os países se intercomunicam, nos âmbitos econômicos, sociais, culturais e políticos e que foi impulsionada devido a redução de custos que ocorreu na questão dos transportes e comunicação entre as nações por volta do final do século XX e início do atual século XXI.

Bom, isso gera diversos impactos internacionais, nos meio político, cultural e principalmente econômico. Hoje, os grandes países dependem de seu comércio internacional para que se mantenham fortes e desenvolvidos.

Neste texto, iremos abordar mais sobre este aspecto e como se dão as relações comerciais entre os países e quais impactos eles geram. Então, sugiro que continue sua leitura e venha conosco entender mais sobre o assunto.

A globalização

A globalização, numa definição literal é o ato ou efeito de globalizar. Ao longo da história dos países, o processo consiste na integração e aumento das relações entre as nações do globo e a partir disso diminuir suas distâncias.

As principais relações se dão no meio político e econômico, porém a globalização também se expande para o meio cultural e social.

Para podermos ter uma definitiva e real compreensão de seu funcionamento e como se dão as relações comerciais dos países hoje em dia, vale voltarmos um pouco no tempo e entendermos a história e como surgiu o processo de globalização.

O fenômeno, em estado “bruto” começou em meados do século XV, no que chamamos de período mercantilista. Alí, as nações da europa começaram a realizar longas viagens de navio, em busca de novas terras e riquezas.

Daí em diante, com o surgimento das colônias européias na África e também Ásia, começaram também o fluxo e troca de força de trabalho e mercadorias entre países e colônias e, nesse processo, também ocorreram trocas no sentido cultural.

Chegando no século XVII, com o estouro da revolução industrial, a globalização se expandiu de maneira exponencial e ficaram mais intensas ainda no final do século XX, após o término da segunda grande guerra.

Daí em diante, o processo ganhou força com o avanço das políticas liberais e de livre mercado praticadas por alguns governos ao redor do mundo, que diminuíram suas regulações em relação ao comércio internacional e deram espaço para que as relações internacionais começassem a de fato ocorrer em seu sentido mais amplo.

Relações comerciais

Na economia globalizada, para que se facilite as relações é exigido que ocorra uma dinamização das relações comerciais, intensificando o fluxo das mercadorias e serviços, e para isso foram criados específicos acordos internacionais entre países, e nesse âmbito podemos ressaltar os chamados blocos econômicos.

Esses grupos visam firmar acordos e reduzir tarifas alfandegárias, para que se tenham realmente uma relação de livre comércio.

Basicamente, são os principais:

  • NAFTA;

  • Marcosul;

  • APEC;

  • União européia;

  • ASEAN.

E para além dos blocos econômicos, existem também no âmbito de relação internacional o que se denomina grupos internacionais.

Esses são um conglomerados de países que se reúnem para poder discutir a situação econômica global. Como exemplos, temos o G-8 e o G-20, onde se consolidam acordos comerciais.

Esses acordos são importantes até mesmo para delimitar e controlar a exploração de certos produtos como é o caso do petróleo, controlado pela OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo).

Teóricos

Existem uma grande variedade de teorias sobre as relações comerciais internacionais. As chamadas teorias clássicas, surgiram na segunda metade do século XVIII, dada a inevitável necessidade de se explicar as trocas que envolviam os países.

Elas começaram a surgir no período chamado mercantilista, na época em que os países intensificaram muito suas trocas comerciais livres, o que chamam de liberalismo econômico.

A relação dessa corrente econômica com o comércio internacional é que os países ao redor do mundo tinham diversas necessidades no âmbito econômico e dado a isso, precisavam supri-las através de produtos e serviços que só poderiam ser adquiridos em outras diferentes partes do mundo.

Vale a menção de autores como Adam Smith e David Ricardo, que contribuíram muito para se entender o tema. Isso foi uma síntese breve, uma introdução às relações internacionais.

Para que se tenha uma maior bagagem sobre o assunto, livros dos autores citados acima são muito úteis e dão um panorama geral do início da relações internacionais e o porquê que elas ocorrem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *