Marketing

O influenciador como empreendedor nas redes sociais

Quando se fala em empreender na internet, é comum que a ideia seja associada primeiramente a e-commerces ou estratégias de marketing digital para comercializar produtos. No entanto, há uma outra forma de empreender online e esta é através da influência digital. Afinal, o influenciador é antes de mais nada um empreendedor nas redes sociais.

E isso porque empreender é apostar em uma ideia inovadora e, a partir disso, desbravar o mundo dos negócios para mostrar uma marca ou produto. E ser influenciador digital não é diferente. Assim como é importante ter um diferencial para lançar um produto ou serviço, os influenciadores também precisam ter seu próprio diferencial para conquistar e fidelizar seguidores.

Por isso neste artigo explicamos mais sobre a relação entre a influência digital e o empreendedorismo. Confira a seguir.

Por que influenciar pessoas também é empreendedorismo?

A forma como vivemos em sociedade mudou bastante com a popularização da internet. Influenciadores sempre existiram; no entanto, antes eram apenas figuras famosas que recorrentemente marcavam presença na televisão. Por isso era comum que a maioria das pessoas conhecessem esses influenciadores, já que sempre estavam em meios de comunicação destinados às massas.

Cantores, atores e outras celebridades apareciam em programas falando de seu trabalho ou mesmo em comerciais vendendo seus produtos. Porém, com as redes sociais, surgiu o conceito de influenciador digital. Assim, o poder de influenciar chegou também ao universo on-line.

Nesse espaço digital não são apenas famosos e artistas que têm o reconhecimento do público. A partir do momento em que as redes sociais se tornaram um caminho para a fama, a questão se democratizou. Agora qualquer pessoa com acesso a uma câmera pode tentar ser uma espécie de celebridade.

Fortalecendo seus próprios perfis em redes como YouTube, Instagram ou Facebook, essa nova gama de influenciadores consolidou outros canais de comunicação com as pessoas. Com a própria programação, conteúdo e horários de transmissão, eles conquistam fãs que encontram nas redes um meio de interagir de forma direta com esses novos ídolos.

E é por isso que todo esse trabalho de construção da própria imagem nas redes sociais é empreendedorismo. O que antes se conseguia com a ajuda de grandes meios de transmissão hoje é construído do zero por quem escolhe trilhar o caminho da influência digital.

Muito além das redes sociais

O empreendedorismo dos influenciadores digitais consiste, assim, na consolidação da própria imagem e também no fortalecimento de seus canais de comunicação – as redes sociais.

Porém a presença dos influenciadores digitais não é restrita a esse universo. Eles transitam por outros meios através de parcerias com marcas ou mesmo graças ao poder da influência que exercem. Prova disso é que muitos aparecem também em veículos tradicionais de comunicação, como programas de televisão, jornais, sites de entretenimento, etc.

A influenciadora digital Kéfera, por exemplo, hoje trilha a carreira de atriz também por conta da visibilidade que ganhou como youtuber. Whindersson Nunes é outro exemplo, pois, além de ser o maior youtuber brasileiro, realiza shows em todo o Brasil, faz filmes, campanhas televisivas e já foi entrevistado em talk shows.

Um caminho difícil a trilhar

No entanto, não basta apenas criar um perfil nas redes sociais. Afinal, influenciar vai muito além de estar nas redes ou ter um número expressivo de seguidores. É preciso, de fato, engajar o público e saber se o conteúdo tem impacto real sobre quem o acompanha.

E, por isso, há muito trabalho envolvido quando se fala a respeito do empreendedorismo de influenciadores digitais nas redes sociais. Por trás de um bom engajamento há tipos de conteúdos pensados para gerar interação, desenvolvimento de uma marca pessoal, compromisso e dedicação. 

Não é fácil. Ser influenciador digital é apostar em si mesmo, trabalhar para que o conteúdo criado alcance mais pessoas e estar atento ao que acontece de novo. Assim como há o lado da visibilidade e do glamour que muitos querem, também há análise de métricas, horários, compromisso com entregas e outras responsabilidades do meio.

O lado bom é que hoje os influenciadores digitais não precisam trilhar esse difícil caminho sozinhos. Eles podem contar com assessores de imagem, agências que façam a ponte com as marcas para conseguir jobs – como a influu -, fotógrafos e outros profissionais que atuam justamente para dar suporte a uma das profissões que ganha cada vez mais espaço na sociedade.

Este texto foi escrito por Andressa Lima, criadora de conteúdo da influu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *