EmpreendedorismoOrganizaçãoServiçosTrabalhador

Aprenda a organizar o fluxo de caixa em 6 passos

É você quem controla o caixa da sua empresa? Sabe como organizá-lo de uma forma prática? Aqui, você vai conhecer os 6 principais passos para organizar o fluxo de caixa da sua empresa com agilidade e precisão.

1- O planejamento

O primeiro passo é planejar. Nesse momento, você pode criar centros de custo para os quais suas finanças serão destinadas e, também, estabelecer as fontes financeiras do seu negócio. Assim, você se programa para investir em um material novo, em uma nova campanha, em contratações de serviços, que ajudarão a empresa a progredir.

Da mesma forma, você estabelece critérios para priorizar as fontes de receitas. Você pode estabelecer essas fontes de acordo com a hierarquia das atividades da sua empresa. Tenha em mente qual seu produto ou serviço principal e quais os secundários. As fontes de receita seguem a mesma lógica.

Para solidificar o crescimento da sua empresa, faça planejamentos de curto, médio e longo prazo. Pontue um valor base de saldo para cada período. Fazendo isso, você terá métricas para garantir a saúde financeira do seu empreendimento.

2- Registrar tudo

Guardar o registro de qualquer movimento financeiro da empresa faz a maior diferença. Com esses dados em mãos, o gestor pode confiar nas informações geradas por seus relatórios periódicos. Qualquer gasto deve ser registrado. Para conhecer a realidade financeira da empresa, é preciso considerar, inclusive, os pequenos gastos. Afinal, quando somados, representam um montante significativo. Além disso, são os grandes vilões do descontrole no fluxo de caixa.  

Entradas e saídas

Registre qualquer tipo de entrada e saída na sua empresa. Nada pode passar despercebido. Qualquer movimentação tem um valor. Não importa se forem centavos, pois a análise da natureza desses gastos auxilia a empresa na tomada de decisão e na contenção de desperdícios.

Categorias

A categorização das movimentações também é importante. Tenha categorias distintas e com uma relação lógica entre elas. Essa estratégia permite que o gestor monitore os setores e as atividades que com maior participação nas receitas e nas despesas. Além disso, com a categorização é possível calcular o custo de um serviço ou de uma mercadoria com maior precisão. Lembre que conhecer o custo de um produto ou de um serviço prestado é essencial para que você atribua um preço competitivo e lucrativo.  

3- Estabelecer uma data

O terceiro passo importante é decidir qual a melhor data para o fechamento periódico do caixa. Geralmente, essa data é estabelecida junto com o fechamento do balancete contábil. Assim, o período financeiro e o período contábil são fechados na mesma época. Essa prática facilita a relação entre

  • Registro financeiro: pagamento da conta de luz no mês de junho por exemplo
  • Lançamento contábil: quitação de despesa incorrida em maio.

Cada empresa trabalha com fluxos diferentes. Por isso, é importante conhecer a fluidez da sua equipe e de sua contabilidade, além de considerar sua dinâmica de compras e vendas.

4- De olho nas contas

Registrar o aumento e as quedas dos valores contidos nas contas que fazem parte da empresa é algo inteligente. Nada de se basear somente em pagamentos e receitas. Qualquer movimentação nas contas devem ser registradas. Faça a gestão de qualquer conta que tenha vínculo com a empresa, como contas de investimentos, poupanças, financiamentos, etc. Quando as contas não são supervisionadas, a possibilidade de surgirem erros é iminente e isso é prejudicial para qualquer empresa. Estar atento às contas faz com que a empresa esteja pronta para agir em qualquer circunstância.

5- Controle no estoque

Fazer um boa gestão do estoque é fundamental para que a empresa não perca dinheiro. O estoque quando está parado não gera lucro. O estoque deve estar em constante giro. Algo que faz uma boa diferença para algumas empresas é estar de olho em eventos sazonais, em que há aumento das vendas. Isso ajuda nas próximas compras e na criação de novas campanhas ou promoções.

Faça uma pesquisa para saber as melhores épocas para comprar determinados produtos, para fazer novas contratações e parcerias. O mais importante é ter um estoque bem organizado e relacionado com a demanda. Assim, o gestor saberá exatamente o que precisa ser comprado e o que precisa ser vendido na medida certa.

6- Utilize as ferramentas certas

A tecnologia é a melhor aliada do empreendedor. Ter um software à disposição da empresa é um super avanço. Nenhuma atividade relacionada ao fluxo de caixa demandará tanto tempo se você utilizar o melhor da tecnologia. Com o uso de softwares empresariais e plataformas especializadas, essas atividades serão executadas de forma prática e rápida e com a devida segurança. Um software vai otimizar o tempo e o dinheiro, com menores chances de erro. Então, o melhor a fazer é escolher um software que atenda melhor às demandas da sua empresa.

 

Se você quiser saber mais sobre como a tecnologia pode trazer agilidade e segurança para seu fluxo de caixa, continue nos acompanhando por aqui e deixe seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *