LaudosSegurançaTrabalhador

Prioridades de segurança nos ambientes de trabalho

segurança

Estar precavido contra acidentes é uma tarefa árdua e constante. Muitos acidentes acontecem por falta de cuidados simples, que podem ser evitados, com a orientação de profissionais habilitados para identificar os perigos, e apresentar soluções, muitas vezes simples, mas que garantem a sobrevivência das pessoas.

A finalização de uma obra, ou uma reforma em empreendimentos residenciais e estabelecimentos comerciais, precisam passar por uma avaliação prévia, para que a instalação de equipamentos de segurança seja realizada, afastando qualquer tipo de perigo, tanto em áreas internas, quanto nas áreas externas.

Orientação deve partir de profissionais

Os empreendimentos imobiliários precisam de documentação para liberar a ocupação definitiva, e para isso, realizam diferentes projetos de segurança, que são aplicados ao longo do processo de verificação do espaço.

São feitos diversos estudos e pesquisas, para que possam atender de maneira efetiva, qualquer ponto de convergência, que esteja relacionado a um projeto de incêndio, e o combate imediato.

Os itens de proteção estão relacionados a sistemas hidráulicos, como hidrantes e mangueiras de água, em áreas comuns, além de machados para a abertura de portas, e permitir a abertura de caminhos, em caso de qualquer tipo de acidente, ou mesmo incêndio descontrolado.

O treinamento de equipes civis, para evitar um estado de pânico, e a sinalização de saídas de emergência e instalação de iluminação ativada por meio de baterias, deve ser previsto em um projeto de prevenção e combate a incêndio.

Os bombeiros civis, que se colocam à disposição para acompanhar casos específicos de ação, são acionados imediatamente ao chamado, quando estão à disposição, principalmente em edifícios residenciais e empresariais.

O trabalho em conjunto evita diversas situações, garantindo a vida humana, e buscando o auxílio de profissionais capacitados, quando todos estão em segurança.

Além da presença de uma equipe treinada para estes casos específicos, o projeto deve atender a outras demandas, como:

  • Memorial de cálculo e descritivo local;
  • Cálculo populacional fixo e flutuante;
  • Planta de combate a incêndio;
  • Equipamentos hidráulicos dispostos em pontos estratégicos.

Com toda a planta arquitetônica em mãos, os profissionais podem identificar cada setor de escape.

Assim como a instalação de detector de fumaça, que pode ser bastante útil em casos primários de qualquer tipo de acidente, e permitir a evacuação de um prédio de forma imediata, sem risco de atropelamentos, por meio das escadas de acesso até o térreo, com a proteção das portas corta fogo.

Para evitar qualquer traço de pânico, é preciso estar atento às instruções das equipes de segurança, a partir do momento em que houver a detecção de fumaça, em qualquer andar de um edifício.

Desta forma, a segurança de todos não fica comprometida, e com a aplicação de equipamentos ligados à tecnologia podem permitir até mesmo o combate ao incêndio de forma eficiente, com a presença de sprinklers fixados nos tetos.

E a ação de profissionais do corpo de bombeiros, com o uso de carros pipa, e dos hidrantes instalados, em todo o sistema hidráulico do empreendimento imobiliário.

Emissão de documento permite ocupação

Obrigatório para edifícios com mais de setecentos e cinquenta metros quadrados de área construída, ou com mais de doze metros de altura, independente da área construída, o projeto de combate a incêndio deve constar de toda a documentação.

A avaliação é feita por empresas do setor, que contam com engenheiros, arquitetos, que podem atestar um auto de vistoria do corpo de bombeiros MG, confirmando todos os pontos de regulamentação de segurança, e prevenção e combate a incêndios.

Estabelecimentos comerciais, fábricas e indústrias precisam deste documento para poder funcionar de acordo com a lei, garantindo a segurança de todos que estarão utilizando o espaço, como funcionários e clientes.

Além de estar em acordo com as leis federais, estaduais e municipais, garantindo a segurança do cidadão, as empresas devidamente regulamentadas garantem a proteção patrimonial, garantindo o acesso a seguros, em caso de acidentes e danos que possam ocorrer em um incêndio.

Para empreendimentos comerciais que passam por uma reforma, ou em um período determinado, conforme a atividade fim empresarial, é preciso realizar a renovação do AVCB.

Verificando a presença de todos os equipamentos necessários de segurança, como hidrantes, mangueiras, extintores, além da sinalização de segurança, tanto no piso quanto na identificação de saídas de emergência e presença de detectores de fumaça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *